sábado, 28 de novembro de 2009

O IMPOSTOR.

Li em algum lugar uma enigmática descrição da pessoa que estaria se fazendo passar pelo Vereador Nelson Nahim. A partir da transcrição abaixo, vamos tentar decifrá-la.

“O blog recebeu informação de que a identidade do homem que o nobre vereador Nahim diz passar-se por si, pode ser encontrado em uma tradicional festa católica, que é comemorada sempre no nono mês do ano. A identidade do dito sósia é exatamente o nome do segundo santo adorado. Vale dizer, que os santos exerciam uma nobre profissão que possui como símbolo uma cobra enrolada em um cajado.”

Muito bem vamos à “difícil” tarefa.

1 - Tradicional Festa católica que se comemora em setembro: Há algumas festas católicas que se comemoram em setembro, mas a principal e de maior repercussão certamente é a do dia 27 de setembro, quando são homenageados os Santos Cosme e Damião.

2 – A Identidade do sósia é exatamente o nome do segundo santo adorado: Partindo da premissa que a primeira hipótese esteja correta, é óbvio o nome do santo seria Damião.

3 – Vale dizer, que os santos exerciam uma nobre profissão que possui como símbolo uma cobra enrolada em um cajado: Fiz uma pesquisa rápida, e concluí que a profissão aludida deve ser a medicina.

Após essas breves reflexões, sem completa convicção, concluo que a resolução do enigma indica para o nome DAMIÃO.

Ouvi também em algum lugar que o tal impostor é contumaz nesta prática e tentou se fazer passar pelo Vereador perante uma importante autoridade pública do estado, ou seja: sua batata está assando.

Comentários do blog:

Não sei se a possível atuação do "impostor" tem alguma ligação com o inquérito onde se apura crimes de pedofilia e que está merecendo toda a atenção das autoridades, mas tenho absoluta certeza é que é temerário e perverso, acusar pessoas sem provas e sem que a elas tenha sido facultado o direito de defesa. Deixem que a polícia e o Ministério Público apurem os fatos, e que os culpados paguem no fogo do inferno.

Todos se lembram do caso da escola de base de Brasília que teve seus diretores praticamente linchados pela imprensa nacional e depois se descobriu que não havia nenhuma prova da culpabilidade dos acusados.

Sei que serei criticado por esta posição, e respeito as posições contrárias, mas desafio aos críticos despejar do alto de um edifício um saco de confetes e depois ao arrepender-se, tentar recolher a todos os confetes que foram derramados.

Para quem não se lembra, transcrevo abaixo uma síntese publicada no globo on line sobre o caso da escola de base:

"Entenda o caso da Escola Base
Publicada em 13/11/2006 às 12h11m
O Globo Online
SÃO PAULO - Em março de 1994, vários órgãos da imprensa publicaram uma série reportagens sobre seis pessoas que estariam envolvidas no abuso sexual de crianças, todas alunas da Escola Base, localizada no bairro da Aclimação, na capital. Os seis acusados eram os donos da escola Ichshiro Shimada e Maria Aparecida Shimada; os funcionários deles, Maurício e Paula Monteiro de Alvarenga; além de um casal de pais, Saulo da Costa Nunes e Mara Cristina França.
De acordo com as denúncias apresentadas pelos pais, Maurício Alvarenga, que trabalhava como perueiro da escola, levava as crianças, no período de aula, para a casa de Nunes e Mara, onde os abusos eram cometidos e filmados. O delegado Edelcio Lemos, sem verificar a veracidade das denúncias e com base em laudos preliminares, divulgou as informações à imprensa.
A divulgação do caso levou à depredação e saque da escola. Os donos da escola chegaram a ser presos. No entanto, o inquérito policial foi arquivado por falta de provas. Não havia qualquer indício de que a denúncia tivesse fundamento.
Com o arquivamento do inquérito, os donos e funcionários da escola acusados de abusos deram início à batalha jurídica por indenizações. Além da empresa 'Folha da Manhã', outros órgãos de imprensa também foram condenados, além do governo do estado de São Paulo. Outros processos de indenização ainda devem ser julgados. "
Por fim, acho que o Vereador Nahim deve tratar do assunto através do instrumento democrático que a Constituição da República lhe faculta, recorrendo ao Poder Judiciário para que aqueles que eventualmente o tenham caluniado, difamado ou injuriado, independente de suas motivações, sejam exemplarmente punidos, embora o status quo jamais possa ser restituído. No meu modestíssimo entendimento, nesse momento, entrevistas à imprensa acerca desse tema, só servirá para agravar seu prejuízo moral.

Um comentário:

Xacal disse...

Caro Maxsuel,

Sabemos que é facultada a defesa todos os meios, inclusive a mentira...

Sabemos também que sempre páiram sobre os acusados a possibilidade de serem inocentes, inclusive quando suas sentenças transitaram em julgado...há casos de erros judiciais, é verdade...

Mas há, nesse caso, algumas questões intrigantes:

Ninguém convoca a imprensa para se defender de algo que não fez, não sabe o que é, ou seja, o vereador parece mais preocupado com a "imagem" do que com a inocência, pois:
A tese do vereador não foi apresentada a justiça ou a polícia, embora ele diga que já sabia dos fatos(boatos), e depois diz que não sabe de nada;

No caso da escola-base, os acusados foram expostos a toda sorte de injustiças e procedimentos policiais...

Nesse caso, todos os meios envolvidos estão sendo extremamente cuidadosos(ninguém citou nomes), e as pressões são, justamente para que não aconteça um escola-base invertido, ou seja, na medida que os envolvidos são pessoas da elite, tudo seria acobertado...

Repito, o que o vereador fez foi "morder a isca", sabe-se lá por que...

No caso escola-base a polícia agiu(mal)e a imprensa acompanhou...aqui, os blogs e parte da mídia pressionou, e a poícia e o MP estão promovendo a investigação...

Ou seja, são casos bem distintos...

Mas de qualquer maneira, é uma boa tese de defesa, embora, repito, ninguém ainda seja acusado de nada...

Um abraço...